sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

FELIZ 2012

"Quem teve a idéia de cortar o tempo em fatias,

a que se deu o nome de ano,

foi um indivíduo genial.

Industrializou a esperança

fazendo-a funcionar no limite da exaustão.

Doze meses

dão para qualquer ser humano se cansar

e entregar os pontos.

Aí entra o milagre da renovação

e tudo começa outra vez com outro número

e outra vontade de acreditar

que daqui pra diante vai ser diferente.

Para você,

Desejo o sonho realizado.

O amor esperado.

A esperança renovada.

Para você, desejo todas as cores desta vida.

Todas as alegrias que puder sorrir.

Todas as músicas que puder emocionar.

Para você neste Novo Ano,

desejo que os Amigos sejam mais cúmplices,

que sua Família esteja mais unida,

que sua vida seja mais bem vivida.

Gostaria de lhe desejar tantas coisas...

Mas nada seria suficiente...

Então, desejo apenas que você tenha muitos desejos.

Desejos grandes...

e que eles possam te mover a cada minuto,

ao rumo da sua FELICIDADE! "

Carlos Drummond de Andrade, “Tempo...Tempo...Tempo”

quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

Paul Klee

Um centro para Paul Klee, artista, musicólogo e pedagogo


As três "colinas" de metal do Centro (foto:ZPK) ()Como Paul Klee não era só pintor, o centro que lhe é dedicado não é só um museu mas um espaço para persquisadores, amantes de música e ainda para crianças.

Construído em Berna, capital suíça, o centro foi projetado pelo famoso arquiteto italiano Renzo Piano e reúne mais de 4 mil das 10 mil obras de Klee, na maior coleção monográfica do mundo.

O nome já diz bastante : "centro", não museu. Um clássico museu de arte coleciona e conserva obras, além de expô-las. O Centro Paul Klee engloba também outras formas de arte e tira sua força do conceito de mediação.
Através de concertos, representações teatrais, leituras, programas acadêmicos de verão e oficinas, pretende abrir novas vias para facilitar o acesso do público a obras ilustrativas, musicais, literárias e pedagógicas de Paul Klee. Ao mesmo tempo, uma seção especial de pesquisa, no interior do prédio, deseja assumir papel de centro de competência científica.
São três colinas artificiais em forma de onda na periferia de Berna, envoltas na paisagem verde e ligadas por uma passarela: uma escultura paisagística, um trabalho mais de topógrafo do que de arquiteto, segundo Renzo Piano.

terça-feira, 6 de dezembro de 2011

TEXTO COMO OBRA DE ARTE

A questão sobre o texto como obra de arte me dispertou o interesse em criar uma obra coletiva com algumas palavras-chave de 7 texto escritos no meu mestrado. São 77 palavras e você pode usa-las e montar seu próprio texto utilizando-as. Agradeço se me mandar o resultado!

SABER  -PODER  -SI  -IDEIA  -PRODUÇÃO  -PERCEPÇÃO  -ORGANIZAÇÃO  -ESPIRITUAL  -PENSAMENTO  -TEXTURAS  -MEMÓRIAS  -CONFUSÃO  -INTERNO  -FILOSOFIA  -CONTEMPORANEO  -VAZIO  -CONSERVA  -PERCEPTOS  -AFECTOS  -ESVAZIAR  -VISÃO  -ARTISTA  -INVENTOR  -PALAVRAS  -CORES  -SONS  -PEDRAS  -ESTETICA  -CONCEITO  -ENTRELAÇAMENTO  -TRAMA  -TEIA  -PÉS  -IMPRESSÕES  -MONOTIPIAS  -INDIVIDUAL  -INCONCRETO  -DESCONCRETO  -REFLEXÃO  -ARTE  -INSTANTANEAMENTE  -DESCONSTRUIR  -ACELERADO  -BOOM  -PÓS BOOM   -MODERNIDADE  -LIBERDADE  -OLHAR  -CONTEMPLAÇÃO  -CRISE DA ARTE  -MÚLTIPLA  -PROBLEMÁTICO  -PENSAR  -VANGUARDAS  -INSTITUIÇÃO-ARTE  -EXPRESSIVO  -TÉCNICA  -REDUCIONISMO  -ESPECÍFICO  -OBJETO  -CULTURA  -RUPTURAS  -SENSORIAL  -NORMALIZAR  -MERCADO  -ESTRATÉGIA  -CONTADIÇÃO  -INTERIORIDADE  -GESTO  -INVENÇÃO  -PREOCUPAÇÃO  -ABERTO  -AUTENTICIDADE  -PRECARIEDADE  -CIRCUITO  -CONFRONTO  -CRITICA
Hoje na aula do mestrado em artes visuais, falavamos a respeito da desmaterialização da obra de arte etc, lembrei da música do Zeca Baleiro, Bienal, e segue a letra que traduz o que muitas pessoas pensam a respeito da arte contemporânea. Divirta-se!

Bienal



Zeca Baleiro


Desmaterializando a obra de arte do fim do milênio


Faço um quadro com moléculas de hidrogênio


Fios de pentelho de um velho armênio


Cuspe de mosca, pão dormido, asa de barata torta


Meu conceito parece, à primeira vista,


Um barrococó figurativo neo-expressionista


Com pitadas de arte nouveau pós-surrealista


calcado da revalorização da natureza morta



Minha mãe certa vez disse-me um dia,


Vendo minha obra exposta na galeria,


"Meu filho, isso é mais estranho que o cu da jia


E muito mais feio que um hipopótamo insone"



Pra entender um trabalho tão moderno


É preciso ler o segundo caderno,


Calcular o produto bruto interno,


Multiplicar pelo valor das contas de água, luz e telefone,


Rodopiando na fúria do ciclone,


Reinvento o céu e o inferno


Minha mãe não entendeu o subtexto


Da arte desmaterializada no presente contexto


Reciclando o lixo lá do cesto


Chego a um resultado estético bacana




Com a graça de Deus e Basquiat


Nova York, me espere que eu vou já


Picharei com dendê de vatapá


Uma psicodélica baiana



Misturarei anáguas de viúva


Com tampinhas de pepsi e fanta uva


Um penico com água da última chuva,


Ampolas de injeção de penicilina


Desmaterializando a matéria


Com a arte pulsando na artéria


Boto fogo no gelo da Sibéria


Faço até cair neve em Teresina


Com o clarão do raio da silibrina


Desintegro o poder da bactéria


Com o clarão do raio da silibrina


Desintegro o poder da bactéria

segunda-feira, 25 de abril de 2011

Sai Baba




Hoje faleceu um Grande lider Espiritual, Swami Sai Baba. Em 2001 estive em seu Ashram, Putaparty na India, e me surpreendi com a energia emanada deste Ser Iluminado. Não posso me dizer devota ou discipula deste Mestre mas um grande respeito e reverência por sua sabedoria e trabalho social que desenvolveu naquela parte da India e em várias partes do mundo, isso me tocou. Há um Hospital onde vários médicos do mundo inteiro fazem Seva (trabalho voluntário); assim como escolas e universidade trabalahndo em prol dos valores humanos: VERDADE, RETIDÃO, PAZ, AMOR E NÃO-VIOLÊNCIA. Sai Baba é considerado um Avatar (Deus em forma-humana); seres que de vez em quando encarnam com uma missão de transformação da humanidade. Em seu Ashram mais de 5.000mil pessoas passam por dia, pessoas do mundo inteiro para receber benções ou lições de seus ensinamentos.


Seu Mantra é o Gayatri Mantra, dizem um dos mais poderosos de se recitar. Em então, aqui vai a minha homenagem ao Swami.


"Om Bhur bhuvaha svaha

tat savitur varenyam

bhargo devasya dhimahi

dhyo yonah prachodayat"

sábado, 23 de abril de 2011

Visita a Leonilson

Hoje visitei a exposição de Leonilson e a sensação que tive foi de inquietude. Sempre que visito uma exposição de arte tenho mais a certeza de que a obra de cada artista é a sua Autobiografia. Sim, está tudo lá e se pudermos entrar através de nossa percepção naquilo que estamos olhando o corpo fala o que a obra conta. Então é uma questão da autobiografia do artista e de nossa autobiografia que, por ressonância nos transportas a lugares ocultos, intraduzíveis de nós mesmos. Intraduzíveis? De novo Benjamin... será que virou obsessão?

Em sua teoria sobre a linguagem , na Tarefa do Tradutor, ele diz que há algo no original que deve se manter na tradução então, transpondo isso para as artes visuais nos tornamos todos tradutores daquilo que olhamos. Mas não é qualquer olhar, é o verdadeiro olhar; aquele que apreende o que observa. É um desvendar, revelar.

Foi assim que saí da exposição pensando em meus trabalhos, sobretudo em minha produção dos últimos 10 anos onde a sobreposição , a superposição tomou conta de qualquer superfície onde eu trabalhava (e trabalho) e pude "traduzir" a minha obra por "Intraduzibildade: o que a por trás do que eu vejo?".

Sim, porque por mais que possamos apreender parte do que é dito, ou escrito ou pintado, colado, nunca se pode saber ao certo o que há por trás do perceptível. Mas, se penso no "Ùnico Traço do Pincel" (Monge Abóbora- Amarga) também sei que pode haver um lugar puro da percepção que, se estiver atento e relaxado ao mesmo tempo, sem esforço tudo se revela. Está tudo lá. Sempre. Mas nem sempre podemos perceber o que já está lá...

terça-feira, 19 de abril de 2011

INSÔNIA

Palavras-chave: insônia, traduzibilidade, intraduzibilidade, simbolizado, simbolizante, significado, significante, o Único traço do pincel
Contextualização: 1o semestre do mestrado em artes visuais, 2011 na FASM aulas de História e filosofia na arte contemporânea e desenho
Resumo: ontem a noite eu não conseguia dormir e meu pensamento pulava de Walter Benjamin em seu conceito de traduzibilidade, intraduzibilidade, inessencial depois ia para Nitzsche com as diferenças entre ética e moral; logo passava para semiótica onde eu tentava encontrar os termos simbolizante e simbolizado e só encontrava significante e significado (será um erro de tradução?). De Perls para o Umbigo do Sonho, de Freud e passava pela simplicidade e verdade do Monge Abóbora-Amarga e o significado do Único Traço do Pincel , passando pelo Ch`an Tao. Ainda cheguei ao mestre Ferreira Gullar em "Traduzir-se" onde diz: "traduzir uma parte em outra parte é uma questão de vida ou de morte. Será Arte? Será Arte?". Para finalmente chegar em Sócrates "Só sei que nada sei". EUREKA!
questões: isso é normal ou é grave?
o mestrado pode ser feito em 10 anos? (tempo mínimo para elaborar tudo isso e mais o que virá pela frente)



Claudia Colagrande

terça-feira, 11 de janeiro de 2011

Galeria


Acílica s/ tela
100cm x 60cm

Galeria


Acrílica s/ tela
100cm x 80cm